CopenhagenDinamarcaEuropa

Como é a vida na Dinamarca?

Dinamarca

Chegou a hora de responder à pergunta que eu mais escutei esse ano

Dentre tantas questões que eu recebi e ainda recebo, sem dúvida a mais frequente é sobre a qualidade de vida aqui na Dinamarca. Já respondi algumas vezes, porém acho que chegou a hora de contar tudinho sobre a minha percepção sobre esses oito meses que estou aqui.

Quer saber mais sobre o que eu achei de Copenhagen no meu primeiro mês aqui? Tem um post contando tudo. É só clicar aqui para ler.

Importante: neste post, irei falar a minha opinião sobre a vida em Copenhagen. Cada pessoa tem uma visão e uma experiência diferente. Todo o relato abaixo é sobre o meu ponto de vista e minhas histórias no país.

Copenhagen

Como tudo começou

No final de 2016, meu marido, que trabalha em uma empresa dinamarquesa no Brasil, recebeu a proposta de passar um ano na Dinamarca. Na mesma hora, já ficamos empolgados com a ideia.

Ele já conhecia o país e eu não sabia nadinha e, para ser sincera, não tinha passado pela minha cabeça visitar à Dinamarca tão cedo. Afinal, tinham vários outros países que estavam na minha listinha de prioridade e a Dinamarca não era um deles.

Porém, essa oportunidade era ótima para a carreira dele e seria uma experiência diferente para nós, como casal, e uma aventura para mim. Resolvemos aceitar a proposta e partir rumo a esse país nórdico.

Chegamos aqui no final de fevereiro, já sentindo o friozinho do final do inverno.

Copenhagen

O primeiro susto: os preços

Tudo era maravilhoso por aqui, estávamos super empolgados e já no nosso primeiro dia aqui fomos em uma padaria perto do apart hotel que estávamos e pronto… já me assustei com o preço! Compramos um pão pequeno para cada (pão puro, sem nenhum recheio) e mais dois cafés com leite pequenos. Nossa conta ficou em R$45!!!

Saí da padaria comendo o pão mais caro que já tinha comido na vida! Como tínhamos chegado na noite anterior, ainda convertia para reais tudo o que comprava. Quase R$50 só por um café da manhã supersimples, fiquei com isso na cabeça o dia inteiro.

Minha segunda compra foi um chip para celular, neste mesmo dia. Esse teve um preço ótimo, R$100 pelo chip que incluía 10mil minutos de ligação (nunca vou usar isso tudo em um mês) para todos os países da União Europeia e mais 30GB de Internet. Ufa, achei alguma coisa mais barata do que no Brasil!

Copenhagen

Então, chegou a hora de ir ao mercado, aí sim meu queixo caiu de vez! Só para vocês terem uma ideia dos preços, a caixinha de morango custa R$13; 1kg da carne mais barata, R$60; dois filés de peito de frango, R$15. Sem falar nas outras frutas que se vende por unidade como, limão (R$1,50), banana (R$1), manga (R$7).

Fiquei arrasada com os preços, sempre convertendo tudo para real e achando que ia ser impossível viver aqui! Nem podia usar minha frase padrão: “Quem converte não se diverte”. Até porque, precisava viver um ano aqui.

Outro susto foi o preço da cerveja no bar, que custa R$30 reais por um copo de 500ml! O que é isso Brassiiiiill?!?!?!?! Nem sair para beber com os amigos vamos poder!!

Copenhagen

Quando os preços começaram a fazer sentido

Depois desse enorme susto inicial, comecei a parar de converter as coisas para real. Tive que mudar uma chavinha no meu cérebro e passar a pensar apenas em Coroa Dinamarquesa (kr).

Obs: R$1 = 2 kr

Já que recebíamos (meu marido) em coroas tínhamos que pesar em coroas também. Nessa altura, tínhamos duas opções: ou aceitaríamos esses preços ou deixaríamos de comer certo tipo de alimento.

Hoje em dia, pago feliz cada coroa no mercado, pois sei que, apesar do alto preço, as coisas têm uma qualidade incomparável. Na caixinha de morango, por exemplo, não vem um moranguinho estragado, a banana não tem nenhum pontinho preto e por aí vai.

Como meu marido fala: “Aqui se paga caro, mas se vive bem”. E falando em viver, vamos falar sobre a vida por aqui?

Copenhagen

Qualidade de vida

Sem dúvida, essa é a melhor parte sobre morar em Copenhagen: a qualidade de vida. Para explicar com mais facilidade, vou dividir esse tema em subtemas e explicar um pouquinho de cada ponto que eu considero fundamental para uma boa qualidade de vida (lembrando, esse é o meu ponto de vista sobre a cidade)

Segurança

Na minha opinião, é o ponto que mais me afeta positivamente aqui. Andar pelas ruas sem medo de ser assaltada, sem medo de alguém roubar o celular da minha mão, sem medo quando alguém passa do meu lado e esbarra em mim, sem medo de andar sozinha durante a noite, essas coisas não têm preço.

Transporte público

Todos os meios de transporte por aqui são caros (como tudo, né?!). Porém, a qualidade é muito boa! Os ônibus, metros e trens, 99% das vezes estão no horário e normalmente têm lugar para sentar.

Além disso, os transportes públicos nos levam rapidamente para qualquer ponto da cidade de Copenhagen. Para vocês terem uma ideia, a companhia de metrô tem como objetivo não deixar as pessoas esperando mais de três minutos nos horários de pico. (E sempre funciona!)

Copenhagen

Honestidade e confiança

Esse é outro ponto que faz com que a qualidade de vida por aqui seja excelente. As pessoas, quase sempre, confiam umas nas outras, o que torna a vida muito mais fácil. Neste ponto, tenho dois exemplos para dar:

  • Outro dia, fui ao correio buscar uma encomenda minha e, quando cheguei lá, reparei que não tinha levado nenhum documento meu, apenas meu celular. Como já estava na porta do correio, resolvi entrar mesmo assim e tentar pegar a encomenda.

Falei com a menina que vim receber um pacote, ela, como de costume, pediu meu documento e eu falei que havia esquecido em casa e só tinha levado o celular. Eis que ela fala: “Mas você tem Facebook? Pode me mostrar sua conta do Facebook.”

Oiiiii??? E foi isso que eu fiz, abri o app do Facebook mostrei que estava logada com o mesmo nome do pacote e ela entregou minha encomenda.

  • Como falei aí em cima, meu plano de celular me permite falar e usar os dados de Internet em toda a União Europeia. Porém, outro dia, fui para Mônaco e, como não é necessário passaporte para entrar lá, achei que fazia parte da UE.

Com isso, usei meu celular normalmente, Internet, ligações e tudo como se estivesse na UE. No final do mês, fui verificar a fatura do celular, estava 400kr mais caro do que o meu plano!! Como assimmmm??

Na mesma hora, liguei para a empresa expliquei o que tinha acontecido e comentei que achava que Mônaco estava incluído no meu pacote, já que quando entrei no país não recebi nenhuma mensagem dizendo que ele não fazia parte (o que normalmente eu recebo).

O atendente verificou que a mensagem realmente não foi enviada, por algum erro deles e, na mesma hora, falou que o valor seria estornado da minha conta! Não precisei fazer mais nada, não tem essa de abrir protocolo, verificar com sei lá quem.. foi tudo simples e muito fácil.

Copenhagen

Relação trabalho x família

Esse é outro ponto que a Dinamarca arrebenta! Aqui a hora de entrada e saída do trabalho é quase sempre cumprida. Afinal, as pessoas têm que desfrutar os momentos em família, têm que buscar seus filhos na escola, têm que limpar a casa, entre outras coisas normais.

E, para que isso seja possível, durante o tempo de trabalho, todo mundo por aqui é muito focado. As salas e corredores são extremamente silenciosos, eles só se falam se for algo realmente importante.

Na área do cafezinho, quase sempre está vazia, ninguém fica lá batendo papo e deixando o tempo passar. O horário de trabalho é 100% utilizado para trabalhar e não para outras atividades paralelas.

Copenhagen

Clima

Esse ponto já é um pouco mais difícil de falar, pois ainda não peguei o inverno intenso por aqui (dezembro – fevereiro). Como falei ali em cima, quando cheguei, apesar de ainda ter visto neve, já estava no final da estação.

Mas, o que posso dizer é que o clima aqui não é muito bom. Durante o verão, o sol nasce às 3h30 da manhã e se põe às 22h40, o que é realmente incrível. Nessa época, ocorrem vários festivais na cidade, piqueniques, festas e tudo mais.

A cidade fica mais viva e todo mundo passa a maior quantidade do tempo ao ar livre aproveitando a alta temperatura (24° C) e o sol.

Fiz um post bem legal sobre três festivais famosos aqui de Copenhagen. Dá uma olhadinha lá para entender melhor o clima de verão dinamarquês. Basta clicar aqui para ver.

No inverno, muda tudo por aqui. O sol passa a nascer às 8h e se põe às 15h30 e, além disso, vem o frio. Dias chuvosos, muita neblina marca essa época do ano. As pessoas já não ficam tanto tempo na rua, só saem para fazer o essencial e sempre rápidas e muito agasalhadas.

E parece que as atitudes mudam também. Minha impressão é que os dinamarqueses ficam mais fechados e mais tristes.

Copenhagen

O povo dinamarquês

Esse é mais um ponto importante para falar. Nunca tive nenhum problema com o povo daqui. Eles são sempre muito rápidos, focados e, algumas vezes, um pouco sem educação (esbarram em você na rua e não te pedem desculpas).

Por outro lado, são super solícitos e sempre dispostos a ajudar o próximo. Nunca me olharam de cara feia quando fui pedir uma informação na rua, nunca me negaram ajuda.

Copenhagen

Porém, o povo é calado. Isso não quer dizer que eles sejam grosseiros e nem mal-humorados. Eles apenas não gostam de atrapalhar o outro, de invadir a bolha do outro. Nos metrôs, ônibus, nas filas, eles sempre estão calados e concentrados nas suas coisas.

Mas é claro que, se formos pedir alguma ajuda ou simplesmente puxarmos um assunto, tudo ocorre com a maior naturalidade. Aquele “gelo” inicial é quebrado e a conversa flui com a maior naturalidade.

Esses são alguns dos pontos que mais me impressionaram durante esses oito meses que estou morando em Copenhagen. Claro que eu poderia escrever muuuito mais, mas o texto ficaria muito grande e acho que ninguém iria ter paciência para ler tudo. Achei melhor dar uma resumida e pegar apenas o que é mais relevante.

Copenhagen

E se você gostou desse post, deixa seu comentário aqui embaixo que eu posso fazer mais post desse jeito, contando meu ponto de vista e minhas histórias daqui. E, se tiver alguma ideia de post ou alguma curiosidade a mais, é só perguntar aqui nos comentários também!

Repetindo o que eu já falei ali em cima, este post é baseado no que eu vivi e senti aqui em Copenhagen. Outras pessoas podem ter visões e experiências diferentes. Esse relato é minha opinião sobre os acontecimentos.

Semana especial da Dinamarca

Esse post faz parte do projeto: Semana especial da Dinamarca! Onde teremos post novo todos os dias!! Para ver os outros post sobre a Dinamarca, é só clicar aqui.

Gostou do nosso post? Então não esqueça de salvar no Pinterest!

Share:
%d blogueiros gostam disto: